A Comissão de Coordenação do Plano Nacional de Formação Financeira esteve presente no “High-level Global Symposium”, organizado conjuntamente pela OCDE-INFE e pelo Reserve Bank of India, que teve lugar nos dias 8 e 9 de novembro em Nova Deli, Índia.

Nesta conferência foram debatidos os riscos e as oportunidades da formação financeira na era digital, no que diz respeito aos seus reflexos nas estratégias nacionais de educação financeira, ao papel dos stakeholders públicos e privados e à adequação dos diferentes canais de formação às necessidades dos vários públicos-alvo. Foi também abordada a importância da literacia financeira no apoio ao investimento financeiro responsável.

A Presidente da Comissão de Coordenação do Plano, Lúcia Leitão, interveio no painel sobre implementação e avaliação de estratégias nacionais de formação financeira.

Portugal partilhou a sua experiência na monitorização dos níveis de literacia financeira da população através da implementação de inquéritos e na avaliação de iniciativas de formação financeira.

Neste contexto foram apresentadas as várias metodologias de avaliação das iniciativas conduzidas nas escolas, incluindo a avaliação de conhecimentos dos professores, a avaliação dos níveis de satisfação dos professores e alunos e dos próprios materiais utilizados.

Foi também referida a participação de Portugal, pela primeira vez, no exercício de avaliação de conhecimentos financeiros, no âmbito do PISA a realizar em 2018.

Esta conferência decorreu à margem da 8.ª reunião do Comité Técnico da International Network on Financial Education (INFE) que teve lugar em Nova Deli a convite do Reserve Bank of India.

Sobre a INFE

A International Network on Financial Education (INFE) foi criada, em 2008, sob a égide da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) para promover princípios e boas práticas de formação financeira.

A INFE funciona como plataforma de recolha de dados e informação sobre a literacia financeira, com vista à elaboração de relatórios analíticos e comparativos e ao desenvolvimento de investigação e instrumentos de política. Nesta rede, participam entidades reguladoras, bancos centrais, ministérios das finanças e agências de educação financeira de países membros e não membros da OCDE.

O Banco de Portugal e a Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões são membros da INFE. O Banco de Portugal é membro fundador desta rede de literacia financeira, faz parte do Conselho Consultivo (Advisory Board), órgão que estabelece orientações estratégicas, e participa em vários grupos de trabalho especializados desta rede.